fbpx

África do Sul: Investimentos de milhares de milhões de euros fluem para o sector automóvel

0
618
  • O País está a viver um boom de investimentos multibilionários no sector automóvel.

O grupo multinacional do sector automóvel Stellantis confirmou na quarta-feira, 13 de Setembro, a sua intenção de investir 3 mil milhões de rands na África do Sul para estabelecer uma fábrica de automóveis de última geração em Coega, no Cabo Oriental.

A Stellantis foi criada em 2021 através de uma fusão entre o Grupo PSA, sediado em França, e o conglomerado italo-americano Fiat Chrysler Automobiles (FCA).

Possui nove marcas de veículos, incluindo Fiat, Alfa Romeo, Citroën, Jeep, Opel, Peugeot e Abarth.

Mikel Mabasa, Director Executivo do conselho empresarial do sector automóvel Naamsa,

Mikel Mabasa, Director Executivo do conselho empresarial do sector automóvel Naamsa, confirmou na quinta-feira que a Stellantis era um dos três fabricantes de equipamento original (OEM) que estavam a investigar e a considerar investir no estabelecimento de fábricas de veículos na África do Sul.

De acordo com o portal Moneyweb, que, por sua vez cita a agência Bloomberg, Mabasa recusou-se a identificar os outros dois, sublinhando que foi acordado que estas empresas fariam os seus próprios anúncios sobre os seus planos de investimento na África do Sul na altura apropriada, Mas confirmou que nenhum deles é a BYD, o fabricante chinês de automóveis e o maior fabricante de veículos eléctricos do mundo.

A Bloomberg adianta que uma declaração do Governo emitida no final do mês passado confirmou que a África do Sul está a negociar com a BYD a eventual abertura de uma fábrica na África do Sul. A fábrica viria juntar-se à fábrica estabelecida para a BAIC, outro fabricante de automóveis chinês, na zona de desenvolvimento industrial de Coega (IDZ, em inglês).

A BAIC anunciou em agosto de 2016 que iria investir 11 mil milhões de rands na criação da fábrica, que na altura foi anunciada como o maior investimento automóvel em África nos últimos 40 anos.

No entanto, a fábrica da BAIC ainda não iniciou a produção. O CEO da BAIC África do Sul, Jianhui Wang, indicou em Abril que estava esperançado em iniciar a produção na fábrica “o mais rapidamente possível”.

Outros anúncios recentes de investimentos de OEMs

A BMW confirmou em Junho que irá investir R4,2 mil milhões na África do Sul para preparar a sua fábrica de Rosslyn em Pretória para a produção da próxima geração do BMW X3 como um veículo híbrido plug-in;

A Toyota South Africa Motors anunciou em Janeiro de 2021 que tinha investido quase 3 mil milhões de Rands na África do Sul para a produção do novo veículo utilitário desportivo (SUV) Corolla Cross na sua fábrica em Prospecton, perto de Durban; e

A Ford Motor Company, em Fevereiro de 2021, anunciou o investimento de 20,13 mil milhões de rands pela empresa e pelos seus fornecedores para a produção da nova Ranger e da segunda geração da Volkswagen Amarok na fábrica de montagem da Ford em Silverton, em Pretória, e na Zona Económica Especial Automóvel (ZEE) adjacente de Tshwane.

Para além destes investimentos por parte dos OEM, o fabricante de componentes automóveis Benteler South Africa inaugurou oficialmente, na terça-feira, a expansão de 9 000m2 da sua fábrica em Kariega, anteriormente designada Uitenhage, para aumentar a sua área total de produção para 30 000m2.

Um porta-voz do Grupo Benteler, sediado na Áustria, recusou-se a fornecer quaisquer pormenores específicos sobre o montante do investimento associado ao projecto “neste momento”, mas é seguro que foram investidas várias centenas de milhões de rands neste projecto.

Além disso, no Naacam Show 2023, no mês passado, 16 fabricantes de componentes automóveis da África do Sul comprometeram-se a investir 4,86 mil milhões de rands na economia nacional até Dezembro de 2024. Naacam é a sigla da Associação Nacional de Fabricantes de Componentes Automóveis e Afins. As 16 empresas não incluíam a Benteler.

O investimento anunciado pela Stellantis na quarta-feira segue-se à assinatura de um Memorando de Entendimento com a Corporação de Desenvolvimento Industrial (IDC) e o Departamento de Comércio, Indústria e Concorrência em Março deste ano para desenvolver uma unidade de fabrico deste tipo na África do Sul.

Primeiro modelo a sair da fábrica de Stellantis – um bakkie

A nova fábrica de Stellantis deverá estar concluída até ao final de 2025, estando o lançamento do primeiro modelo – uma carrinha pick-up de uma tonelada – previsto para o início de 2026.

O grupo não confirmou a marca do veículo, mas espera-se que os volumes de produção atinjam até 50 000 unidades completamente desmontadas (CKD) por ano, incluindo exportações – em conformidade com o Programa de Desenvolvimento da Produção Automóvel (APDP).

“O objectivo é atingir 30% de conteúdo local no veículo, prevendo-se a criação de cerca de 1 000 postos de trabalho directos na primeira fase da capacidade”, diz a fonte.

A fábrica, em termos de espaço e da sua oficina de pintura prevista, terá capacidade para aumentar a produção até 90 000 veículos por ano.

Director de Operações da Stellantis para o Médio Oriente e África- Samir Cherfan

O Director de Operações da Stellantis para o Médio Oriente e África, Samir Cherfan, afirmou na quarta-feira que este projecto reflecte a atenção e a confiança do grupo na África do Sul como um dos mercados mais importantes em África e no Médio Oriente.

“É também a execução da nossa estratégia ‘Dare Forward 2030’ para alcançar mais de 22% de quota de mercado na região até 2030, com 70% de localização regional das nossas vendas, levando a mais de um milhão de unidades produzidas”, afirmou.

“Acreditamos na África do Sul e tencionamos desenvolver-nos a nível industrial e comercial, trazendo valor aos nossos clientes”.

Envolvimento do IDC

De acordo com o Moneyweb, a Stellantis continua a trabalhar em estreita colaboração com a Corporação de Desenvolvimento Industrial (IDC, siga em inglês)  no desenvolvimento de uma parceria viável de empresa comum (JV), que será avaliada pelos comités de crédito adequados da IDC.

A IDC tomará uma decisão sobre qualquer investimento de capital que faça no projecto assim que o estudo de viabilidade bancária estiver concluído.

O Director Executivo da IDC, Tshokolo Nchocho, citado pela nossa fonte a afirmar que o sucesso da Stellantis em fábricas semelhantes em todo o mundo é bem conhecido e que a JV planeada está a progredir bem.

“O investimento está em linha com a intenção da IDC de promover investimentos que apoiem o desenvolvimento da cadeia de valor automóvel regional”, afirmou.

O Ministro do Comércio, da Indústria e da Concorrência, Ebrahim Patel, afirmou que é um dia maravilhoso para todos os sul-africanos quando uma empresa global das proporções da Stellantis decide expandir a sua área de produção na África do Sul para montar unidades completamente desmontadas.

“A África do Sul tem actualmente capacidade para produzir cerca de 700 000 veículos por ano.

“Isto irá acrescentar uma capacidade adicional considerável, numa altura em que nos preparamos para implementar a Área de Comércio Livre Continental Africana [acordo].

“O País continua a ser um excelente destino de investimento e este compromisso da Stellantis de investir na nossa indústria automóvel local sublinha o êxito da nossa política para o sector transformador, a sua capacidade e o seu potencial”, afirmou.

Cabo Oriental “beneficiará enormemente

O Director Executivo da Coega Development Corporation (CDC), Khwezi Tiya, afirmou que a decisão da Stellantis de se juntar a outros grandes fabricantes da região faz da região de Coega o principal centro automóvel do país e que o investimento na fábrica, o emprego, a formação e a transferência de competências beneficiarão certamente a região de forma tremenda.

“Trata-se de um impulso económico muito necessário e bem-vindo para a província do Cabo Oriental, com um impacto económico previsto no PIB da província de 664 milhões de rands”, afirmou.

Coletivamente, prevê-se que o rendimento das famílias aumente para 558,4 milhões de rands no município de Nelson Mandela Bay e 577,4 milhões de rands em toda a província, acrescentou.

“Mais importante ainda, prevê-se a criação de 1 800 postos de trabalho no metro e cerca de 2 097 na província do Cabo Oriental.”

Mabasa congratulou-se com o anúncio do investimento do Stellantis, acrescentando que a Naamsa sabia que tinha ambições de fazer um investimento no país.

Mabasa disse que o anúncio é um enorme voto de confiança na capacidade da África do Sul para atrair novos OEMs para se co-localizarem na África do Sul, particularmente devido à crescente concorrência no resto do continente.

“Há muitos outros países africanos que também manifestaram o seu interesse em atrair OEMs para se instalarem nos seus países, como Marrocos, Egipto, Gana e Quénia”, afirmou.

SUBSCREVA O.ECONÓMICO REPORT
Aceito que a minha informação pessoal seja transferida para MailChimp ( mais informação )
Subscreva O.Económico Report e fique a par do essencial e relevante sobre a dinâmica da economia e das empresas em Moçambique
Não gostamos de spam. O seu endereço de correio electrónico não será vendido ou partilhado com mais ninguém.

Comentários