fbpx

Com investimento inicial de US$ 55 milhões, Sociedade Terminal de Minérios é a concessionária do Porto de Chongoene

0
191
  • Criada área de jurisdição portuária de Chongoene

 

Para permitir a funcionalidade do Projecto do Terminal Portuário de Chongoene, bem como facilitar o planeamento e integração de áreas dos futuros terminais, o Governo moçambicano anunciou a delimitação de uma área de jurisdição do Porto de Chongoene, no distrito de Chongoene, província de Gaza.

Fonte governamental disse ainda que a criação da área do Porto de Chongoene vai permitir também mais espaços operacionais e de serviços portuários a conceder, “respeitando os aspectos sociais, ambientais, legais e económicos decorrentes do desenvolvimento de outros projectos portuários”.

Aliado ao Porto, o Executivo aprovou a concessão das infra-estruturas do Terminal Portuário de Chongoene.

A concessão foi outorgada à Sociedade Terminal de Minérios de Chongoene, SA, constituída pela companhia mineira chinesa Desheng Port, S.A., e a empresa pública Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM).

Para o Governo moçambicano, a concessão, em regime de parceria público-privada, abre espaço para a Desheng Port construir, operar, efectuar a manutenção, gestão e, passado certo tempo, devolver as infra-estruturas do Terminal Portuário de Chongoene ao Governo.

Recorde-se que em Abril último, o Conselho de Ministros deu aval para que os CFM e a Desheng iniciassem com a construção do Terminal Portuário de Chongoene.

O investimento para a construção Terminal Portuário de Chongoene está a ser feito em fases. A primeira contempla um investimento na ordem de 55 milhões de dólares e “muito mais será investido na segunda fase”.

A expectativa é que o Terminal catapulte a execução do projecto das areias pesadas de Chibuto, um empreendimento em curso liderado pela Desheng, cuja produção está calculada em dois milhões de toneladas por ano.

Além das areias pesadas, a Desheng prioriza a produção do titânio e zinco, mas carece de infra-estrutura para exportar.

Num passado recente, a Desheng disse que cerca de 400 mil toneladas de titânio produzidas nas areias pesadas de Chibuto aguardam por exportação para o mercado asiático, numa clara indicação que a execução do projecto do Porto de Chongoene, era pertinente  e relevante para a sustentabilidade do projecto de areias pesadas de Chibuto.

Na mesma altura, a sem especificar o período em que a produção se encontrava armazenada, a Desheng revelou que a quantidade de minério em causa ainda não tinha sido exportada devido às dificuldades enfrentadas por causa dos altos custos de transporte rodoviário até ao Porto de Maputo, capital do país, de onde a mercadoria partiria para o mercado Asiático, um constrangimento cuja superação passaria pela construção do porto de Chongoene, para permitir o escoamento por via marítima.

Entretanto, a produção mineira tende a aumentar na empresa Desheng, desde a inauguração, em Dezembro, de duas unidades de processamento das areias pesadas.

SUBSCREVA O.ECONÓMICO REPORT
Aceito que a minha informação pessoal seja transferida para MailChimp ( mais informação )
Subscreva O.Económico Report e fique a par do essencial e relevante sobre a dinâmica da economia e das empresas em Moçambique
Não gostamos de spam. O seu endereço de correio electrónico não será vendido ou partilhado com mais ninguém.

Comentários