fbpx

Dólar desce com os mercados a ponderarem as perspectivas para as taxas dos EUA

0
446

O dólar foi contido nesta sexta-feira, 24 de Novembro, pela incerteza sobre a trajectória das taxas de juro dos EUA, enquanto o yen se fortaleceu após o crescimento do núcleo de preços ao consumidor do Japão ter aumentado, reforçando a ideia de que o Banco do Japão (BOJ) poderá em breve reverter o estímulo monetário.

Com os mercados dos EUA fechados na quinta-feira, 23 de Novembro, para o feriado de Acção de Graças e com uma sessão de negociação mais curta nesta sexta-feira, 24 de Novembro, é provável que as moedas sejam negociadas de forma estreita, mas possivelmente com alguma volatilidade, uma vez que se espera que a liquidez permaneça reduzida.

O índice do dólar, que mede a moeda dos EUA com seis pares, diminuiu 0,058% para 103,71, ficando perto da baixa de dois meses e meio de 103,17 que tocou no início desta semana.

O índice desceu 2,8% no mês, registando o seu desempenho mensal mais fraco num ano, devido às crescentes expectativas de que a Federal Reserve já não esteja a aumentar as taxas de juro e possa começar a reduzi-las no próximo ano.

Os mercados reduziram as expectativas de cortes nas taxas do Fed em 2024, com os futuros a mostrarem agora uma probabilidade de 26% de que o Fed corte a sua taxa alvo na reunião de política de Março de 2024, de acordo com a ferramenta FedWatch do CME Group. Este valor compara com uma probabilidade de 33% na semana passada.

Entretanto, o crescimento dos preços no consumidor no Japão aumentou ligeiramente em Outubro, depois de ter abrandado no mês anterior, reforçando a opinião dos investidores de que a inflação persistente pode levar o BOJ a reduzir os estímulos monetários dentro em breve.

Os economistas do ING afirmaram esperar que o BOJ se afaste da sua orientação super-acomodatícia no próximo ano.

“Acreditamos que o BOJ poderá abandonar o programa da curva de rendimentos já no primeiro trimestre do próximo ano, uma vez que as obrigações do Tesouro japonês parecem ter estabilizado… e depois iniciar a sua primeira subida de taxas no segundo trimestre de 2024, se o crescimento dos salários continuar a acelerar no próximo ano”.

O índice de preços no consumidor (IPC) a nível nacional, que exclui os custos voláteis dos alimentos frescos, subiu 2,9% em termos anuais em Outubro, mostraram dados do governo nesta sexta-feira, 24 de Novembro, contra 3,0% esperados pelos economistas numa sondagem da Reuters.

O yen japonês fortaleceu-se 0,21% para 149,23 por dólar. A moeda asiática tem-se afastado lentamente do mínimo de quase 33 anos de 151,92 que atingiu no início da semana passada e está a subir 1,5% no mês.

A actividade fabril do Japão encolheu pelo sexto mês consecutivo em Novembro, enquanto o modesto crescimento no sector dos serviços foi pouco alterado, mostrou uma pesquisa de negócios nesta sexta-feira, 24 de Novembro, destacando a fragilidade da economia em meio à fraca procura e inflação.

O euro ficou em US$ 1,09065 dólares, tendo subido 0,16% durante a noite, após uma série de pesquisas preliminares mostrarem que a recessão na Alemanha pode ser mais rasa do que o esperado, o que compensou uma leitura pessimista sobre a actividade empresarial francesa.

A libra esterlina esteve em US$ 1,254 dólares, subindo 0,06% no dia.

O dólar australiano subiu 0.11% para US$ 0.656 dólares, enquanto o kiwi subiu 0.15% para US$ 0.606 dólares.

Os títulos do Tesouro à vista voltaram a ser negociados na Ásia após o feriado do Japão na quinta-feira, 23 de Novembro, com o rendimento das notas do Tesouro de 10 anos subindo 4.3 pontos base (bps) para 4.459%.

O rendimento dos títulos do Tesouro a 30 anos subiu 3,6 pontos base (bps) para 4,584%.

SUBSCREVA O.ECONÓMICO REPORT
Aceito que a minha informação pessoal seja transferida para MailChimp ( mais informação )
Subscreva O.Económico Report e fique a par do essencial e relevante sobre a dinâmica da economia e das empresas em Moçambique
Não gostamos de spam. O seu endereço de correio electrónico não será vendido ou partilhado com mais ninguém.

Comentários