fbpx

OCDE reduz a maioria das previsões de inflação

0
152

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) prevê que a inflação mundial diminua mais rapidamente na maioria das economias, em comparação com as suas estimativas anteriores, mas instou os bancos centrais a manterem-se alerta, uma vez que é demasiado cedo para declarar vitória.
A deflação na China está a agravar-se, enquanto as revisões anuais confirmaram que a inflação nos EUA está a diminuir. No entanto, as pressões sobre os preços no Brasil não abrandaram tanto como previsto no início do ano, enquanto o crescimento dos salários manteve a dinâmica no Japão.
Os principais bancos centrais do mundo não devem baixar a guarda na luta contra a inflação, uma vez que é demasiado cedo para dizer se os fortes aumentos das taxas de juro contiveram as pressões subjacentes sobre os preços, afirmou a OCDE.
Para consubstanciar suas afirmações, a OCDE, afirma que as decisões tomadas até à data este ano deixaram os custos de financiamento inalterados
O banco central da Austrália manteve as taxas de juro em máximos de 12 anos e sinalizou que é possível uma maior restritividade. A Índia manteve as taxas de juro inalteradas, mas manteve uma orientação política hawkish. A Tailândia, a Islândia, a Sérvia, o Uganda, a Polónia e o México também deixaram as taxas inalteradas. O Quénia subiu mais do que o previsto e a Nigéria aumentou as taxas de juro da dívida de curto prazo. A República Checa e o Peru baixaram as taxas.

Mais navios estão a navegar em torno de África
O aumento dos desvios coincide com a redução dos trânsitos no Mar Vermelho

As principais companhias de navegação alertam para o facto de a situação de segurança no Mar Vermelho continuar a deteriorar-se, apesar dos esforços do Ocidente para limitar os ataques dos rebeldes Houthi do Iémen. As percepções de risco das companhias de navegação são importantes porque são elas que ditarão quando os navios regressarão à região. Todos os armadores afirmaram que continuarão a redireccionar os seus navios até que seja seguro viajar pelo Mar Vermelho.

Ásia
Os preços no consumidor na China caíram 0,8% no mês passado, a maior queda desde a crise financeira global, aumentando a pressão sobre o governo para que reforce o apoio a uma retoma económica que está a agitar os mercados. O índice de preços no produtor caiu 2,5%, marcando 16 meses consecutivos de deflação nos custos de produção.
Sinais de progresso
Os economistas esperam que o maior grupo sindical do Japão garanta maiores aumentos salariais este ano
As negociações salariais anuais do Japão começaram em força, atraindo cada vez mais atenção à medida que o Banco do Japão procura provas de um ciclo virtuoso de preços e salários que lhe permita sair do último regime de taxas negativas do mundo. Os dados divulgados na terça-feira, 06 de Fevereiro, mostraram que o crescimento dos salários se reforçou menos do que o esperado em Dezembro, embora continuando a mostrar sinais de uma dinâmica subjacente suficiente para manter o BOJ no bom caminho.
As negociações salariais anuais do Japão começaram em força, atraindo cada vez mais atenção à medida que o Banco do Japão procura provas de um ciclo virtuoso de preços e salários que lhe permita sair do último regime de taxas negativas do mundo. Os dados divulgados na terça-feira, 06/02, mostraram que o crescimento dos salários se reforçou menos do que o esperado em Dezembro, embora continuando a mostrar sinais de uma dinâmica subjacente suficiente para manter o BOJ no bom caminho.

EUA
Sem surpresas na revisão anual do IPC
Índice básico de preços no consumidor pouco alterado nos últimos meses
No final do ano passado, a inflação nos EUA manteve-se praticamente igual à inicialmente registada, depois de incorporar as revisões anuais, de acordo com novos dados publicados na sexta-feira, 10 de Fevereiro. A revisão sem incidentes será um alívio para os responsáveis da Federal Reserve, que procuram mais provas de que as pressões sobre os preços estão a recuar de forma sustentável antes de começarem a reduzir as taxas de juro.
O défice comercial dos EUA diminuiu no ano passado mais do que em 2009, uma vez que o valor dos bens importados diminuiu e o excedente dos serviços aumentou. O défice de mercadorias do país com a China no ano passado diminuiu 27% para um valor não ajustado de 279,4 mil milhões de dólares, o menor desde 2010.

Famílias mais jovens enfrentam mais stress financeiro
Transições para o incumprimento grave dos cartões de crédito por idade
As famílias americanas endividaram-se mais no final do ano passado e alguns desses empréstimos estão a ficar cada vez mais incobráveis, de acordo com dados do Federal Reserve Bank de Nova Iorque. Embora as taxas globais de incumprimento nos EUA se mantenham abaixo dos níveis anteriores à Covid, as dos cartões de crédito e dos empréstimos para aquisição de automóveis são agora mais elevadas.

Mercados Emergentes
A inflação no Brasil está acima do intervalo de tolerância
A inflação anual do Brasil abrandou menos do que o esperado no início do ano, sublinhando os desafios que o banco central enfrenta ao reduzir os custos dos empréstimos.

Europa
A produção industrial alemã prolongou a sua queda para o sétimo mês em Dezembro, sublinhando as dificuldades que afectam a maior economia da Europa. O nível global de produção é agora o mais baixo desde Junho de 2020 e, se excluirmos o choque da pandemia, a última vez que foi tão fraco foi em 2010.

O mercado de trabalho do Reino Unido parece mais apertado do que se pensava
O mercado de trabalho britânico está mais apertado do que se pensava, reflectindo as alterações às estimativas da população nos dados oficiais, que revelam que há mais jovens em idade activa do que anteriormente. O desemprego, segundo a nova medida, foi de 3,9% nos três meses até Novembro, muito abaixo dos 4,2% estimados com base nos dados anteriores, informou o Office for National Statistics.

Os riscos de recessão na Europa são substanciais
As economias europeias foram mal avaliadas num inquérito realizado por peritos, que revelou riscos elevados de recessão devido a conflitos geopolíticos e ao aumento dos custos da energia. Na zona euro, as probabilidades de dois trimestres consecutivos de diminuição da produção até ao final do ano são mais elevadas na Alemanha e nos Países Baixos.

SUBSCREVA O.ECONÓMICO REPORT
Aceito que a minha informação pessoal seja transferida para MailChimp ( mais informação )
Subscreva O.Económico Report e fique a par do essencial e relevante sobre a dinâmica da economia e das empresas em Moçambique
Não gostamos de spam. O seu endereço de correio electrónico não será vendido ou partilhado com mais ninguém.

Comentários