fbpx

Triton Minerals vende por US$ 17Milhões 70% de participação nos projectos de grafite em Moçambique para chinesa Shandong Yulong Group

0
340

A Triton Minerals, uma empresa australiana de exploração de grafite, anunciou a venda de 70% de sua participação nos projectos de grafite em Moçambique por um valor de 17 milhões de dólares. A transacção, que representa uma significativa movimentação no sector de mineração do país, está alinhada com os objectivos estratégicos da empresa de optimizar seus activos e fortalecer sua posição financeira.

A Triton Minerals firmou um acordo com a Shandong Yulong Group, uma empresa chinesa com vasta experiência no sector de mineração. Este acordo envolve os projectos de Ancuabe, Balama Norte e Nicanda Hill, localizados na província de Cabo Delgado, uma região conhecida pela riqueza em recursos minerais.

O Diretor Executivo Andrew Frazer disse que o desinvestimento seria o caminho “mais rápido e lógico” para a produção de Ancuabe.

“Acreditamos que esta transacção é a melhor maneira de gerar valor para nossos accionistas em tempo hábil, dado o tamanho, o balanço patrimonial e o desejo da Shandong Yulong de desenvolver e operar esses activos de grafite”, disse ele.

“Estamos ansiosos para trabalhar com Shandong na execução da transacção e seguir em frente como um parceiro JV.”

Nos termos do desinvestimento, a Shandong Yulong que, junto com suas associadas, detém quase 36% do poder de voto na Triton pagará à Triton uma contraprestação em dinheiro de 17 milhões de dólares em três parcelas.

A primeira parcela de 2,55 milhões de dólares será feita dentro de 15 dias do acordo e outros 5,95 milhões dólares quando as condições pré-definidas forem atendidas, incluindo o estabelecimento de uma Joint Venture em Moçambique.

A parcela final de 8,5 milhões de dólares será paga em Fevereiro de 2025.

A venda da participação é vista como um catalisador para o desenvolvimento económico local e para a indústria de mineração em Moçambique. Os investimentos adicionais prometidos pela Shandong Yulong Group devem criar empregos e melhorar as competências locais através de programas de treinamento e desenvolvimento.

Além disso, a entrada de uma empresa com a experiência e os recursos da Shandong Yulong Group pode acelerar a produção de grafite de alta qualidade, essencial para a fabricação de baterias de lítio e outras tecnologias verdes. Este desenvolvimento é particularmente relevante no contexto da transição energética global, onde a demanda por grafite tem crescido substancialmente.

Com a venda de uma parte significativa de sua participação, a Triton Minerals planeja redireccionar seus recursos para outros projectos estratégicos e oportunidades de crescimento. A empresa tem enfatizado a importância de manter um portfólio equilibrado e diversificado, que permita enfrentar os desafios do mercado global de mineração com maior resiliência.

A transacção também melhora a liquidez da Triton Minerals, permitindo a redução de dívidas e a melhoria da sua capacidade de financiar futuras explorações e expansões.

Apesar das perspectivas positivas, a operação enfrenta desafios. A região de Cabo Delgado tem enfrentado instabilidades que podem afectar as operações de mineração. No entanto, a colaboração com uma empresa robusta como a Shandong Yulong Group é vista como um passo crucial para mitigar riscos e garantir a segurança das operações.

As autoridades moçambicanas expressaram optimismo quanto à transacção, destacando que ela está em linha com o plano nacional de desenvolvimento do sector de mineração e com as metas de industrialização do país.

A venda de 70% da participação da Triton Minerals nos projetos de grafite em Moçambique por 17 milhões de dólares representa um marco significativo para a empresa e para o sector de mineração moçambicano. A parceria com a Shandong Yulong Group promete não apenas fortalecer a posição financeira da Triton, mas também impulsionar o desenvolvimento económico e industrial de Moçambique, contribuindo para um futuro mais próspero.

Segundo o “Small Caps Australia”, Um estudo de viabilidade definitivo (DFS) de 2017 para o projecto Ancuabe confirmou que ele é um activo de grafite de alta qualidade, longa vida útil e alta margem para a Triton.

Uma reserva inicial de minério de 24,9 milhões de toneladas com teor de 6,2% de carbono grafítico total (TGC) sustentou o período de avaliação do estudo de 27 anos com uma capacidade de produção de 60.000 tpa de concentrado de grafite.

O recurso mineral total indicado e inferido nos depósitos T12 e T16 de Ancuabe foi estimado em 46,1 Mt, com teor médio de 6,6% de TGC para 3,04 Mt de grafite contido.

SUBSCREVA O.ECONÓMICO REPORT
Aceito que a minha informação pessoal seja transferida para MailChimp ( mais informação )
Subscreva O.Económico Report e fique a par do essencial e relevante sobre a dinâmica da economia e das empresas em Moçambique
Não gostamos de spam. O seu endereço de correio electrónico não será vendido ou partilhado com mais ninguém.

Comentários